Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2006

Always look twice when you cross the street! O Final

Postar este final tem sido uma dor de cabeça... este verde batr+áquio deve ter algo contra... eu escrevinho, eu posto e ele não fica... teimoso do gaijo! Enfim... já cá tá... e neste corvo também entra! E está muito bem... fotogénico o senhor pássaro!

______________________________________________________

 

Acordei novamente com uma névoa junto à janela… era pesada e espessa.

Estava solta. Tinha sido solta.

A Rita estava sentada a perseguir o corvo, acinzentado da névoa, através do vidro da janela.

 

Em, casa a Rita dizia-me que o corvo me tinha trazido de volta…de volta do mundo dos tristes melancólicos e feridos de amor.

Talvez ela tivesse razão e durante meses eu não houvera sido nada mais… mas naquele momento sentia-me dubiamente inteira.

O médico dizia-me que com uma cirurgia plástica a pele das costas voltaria a ser normal. Eu não a queria normal… queria-a assim!

Das minhas costas nuas pintadas num espelho via rasgões que se assemelhavam a duas enormes asas. Se o facto de quase ter sido retalhada para o mercado negro de órgãos me tinha dado asas, quem era eu para as negar?

 

Asas que não me faziam voar mas me ofereciam um esgar de sorriso cada vez que voava pelas estradas no corcel motorizado.

A realidade era que as minhas asas não me levaram a ver a Rita quando o cancro finalmente a levou. Quando um anjo teve piedade do seu sofrimento e ela partiu deixando saudades.

 

No dia do seu enterro, parei a mota em frente aos muros caiados de branco daquelas que seriam as paredes que a confinavam. Paredes brancas, que a confinaram toda a sua luta pela vida, que nos confinaram enquanto estive numa cama de hospital. Olhei para ambos os lados da estrada e segui pelos portões enferrujados, que teimavam em não se mover. Estavam a tapá-la com um manto castanho fofo e eu senti urgência em expelir o conteúdo do meu estômago. Pedi desculpa à lage que o escondeu. Mas os mortos não se interessam com o vómito dos vivos. Voavam aves negras pelo cemitério, perguntei-me se alguma seria a “minha”. Quando todos se foram embora deitei-me ao lado da Rita, como ela tantas vezes fez quando eu estava presa à cama com as “asas” a cicatrizar.

Não chorei mas ri em silêncio, com dor sentida e sentido de ausência de tudo o que me recordava. Quando a noite caiu, levantei-me dali e prossegui para mais um voo. Olhei duas vezes e atravessei a estrada. Aproximei-me da mota e olhei novamente, duas vezes… No bar olhei duas vezes antes de me sentar ao balcão. Brindámos à Rita e brindámos a coisas… muitas coisas! Quando sai do bar olhei duas vezes e lá estavas tu… estarias lá de tantas outras vezes que não olhei?

A realidade é que estavas… e desta vez estiveste para sempre independentemente do estatuto.

A Rita partiu até um dia, eu aprendi que existem paredes que não podem ser trepadas, devem ser contornadas ou derrubadas, a olhar duas vezes quando escolhia um caminho e tu apareceste a olhos que aprenderam a ver. A Ver mesmo, nem que para isso fosse preciso ver duas vezes.

música: Chasing Cars- Snowpatrol
Estou: não digo!
publicado por crowe às 19:48
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


§Quase tudo Sobre Nós

§ crowe

§ Passo

§pesquisar

 

§Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

§Versus recentes

§ Momentos

§ Mais um!!!!

§ Noite

§ Tu e Eu ... Nós

§ Toca-me

§ Para uma amiga

§ Sou do campo

§ Corvo também entra ... co...

§ Aceitam-se sugestões... ;...

§ Mais um desafio

§Já em papirus

§ Dezembro 2008

§ Abril 2008

§ Março 2008

§ Dezembro 2007

§ Novembro 2007

§ Outubro 2007

§ Setembro 2007

§ Junho 2007

§ Maio 2007

§ Abril 2007

§ Março 2007

§ Fevereiro 2007

§ Janeiro 2007

§ Dezembro 2006

§ Novembro 2006

§ Outubro 2006

§ Setembro 2006

§ Julho 2006

§ Junho 2006

§ Maio 2006

§ Abril 2006

§ Março 2006

§ Fevereiro 2006

§ Janeiro 2006

§ Dezembro 2005

§ Novembro 2005

§ Outubro 2005

§ Setembro 2005

§ Agosto 2005

§ Julho 2005

§ Junho 2005

§ Maio 2005

§ Abril 2005

§ Março 2005

§ Fevereiro 2005

§ Janeiro 2005

§ Dezembro 2004

§ Novembro 2004

§participar

§ participe neste blog

blogs SAPO

§subscrever feeds