Quinta-feira, 25 de Agosto de 2005

Saudades (re-postagem)

@ este poema já está publicado no Asas Negras mas, hoje tinha que o re-publicar, re-postar... não só por ter saudades mas por outras tantas coisas...

Hoje chove cá dentro e o sol brilha lá fora!
Senti saudades tuas todo o dia…podia?
Queria olhar-te nos olhos e insultar-te…
Quebras-te a minha protecção!
Avancei com confiança… agora chove cá dentro!
O sol brilha lá fora!
Mas mesmo assim, senti saudades tuas!
Sentes saudades minhas?
Moraste na minha consciência tantas horas deste dia
Que quando passava perto do espelho parecia ver-te comigo!
Para além das saudades ter miragens … podia?
Não percebo a saudade…devia?!
Estou a fazer as coisas diferentes…
A pensa-las, a dize-las, a quere-las!
(Tenho saudades tuas)
Mudaste-me…quebraste-me os muros…
Nunca me permitiste pedir colo…
Hoje se to pedisse dar-mo ias?
Tenho saudades tuas avozinha!
Se soubesses… se me visses hoje…
Sorrias? Ralhavas? Aplaudias?
Com a tua franqueza e pureza de génio
Que me dirias hoje quando te dissesse que hoje:
Sinto tanta falta tua?
Tenho saudades tuas… podia?
publicado por crowe às 19:24
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 18 de Agosto de 2005

Não

negacao.jpg



Não,
quero,
sentir,
o que sinto,
viver,
a vida,
não,
quero,
saber,
que sei,
que o que sinto,
a vida que sei,
que quero,
não sinto,
vivo,
não,
quero,
sentir,
que vivo,
que sei,
sentir,
a vida,
que quero,
viver,
não,
nada faz sentido,
sem sentir,
viver,
querer.


As férias andam a fazer-me mal :s mas confesso que nem eu o entendo e que foi escrito depois de uma tarde um pouco agreste .. boa continuação... :)
publicado por crowe às 18:06
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quarta-feira, 10 de Agosto de 2005

Paraíso perdido

paraiso.jpg


Paraíso
perdido
achado
de luz e cor
aqui vagueio
na sombra
por entre formas
sem forma
matéria inerte
que me espanta
assombra
extasia
não resisti
entrei
andei por aqui
á deiva
ao sabor da vontade
da minha?
da tua?
Paraíso perdido
quem te encontrou
nunca te esqueceu
quem te perdeu
nunca mais te achou
portas cerradas
para todo o sempre
Paraíso perdido
á distancia
de ... um desejo
de ... dedo.


@ como promess de vez em quando passarei por aqui :) .. boas férias
publicado por crowe às 09:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 4 de Agosto de 2005

Escolhas

Diabo1.jpg



Por vezes,
há momentos na vida,
que não sabemos que fazer,
opções várias,
diversos os caminhos,
partir?
ficar?
temos mesmo de escolher?
Não podemos,
apenas,
ficar sentados,
vendo a vida a acontecer?
Não vale fazer batota,
ignorar o facto,
é chegado o momento,
de andar,
não de ficar parado,
seguir em frente,
senão corremos o risco,
de não chegar a nenhum lado,
nunca olhar para trás,
partir a sorrir,
ficará a saudade,
há que saber arriscar,
decidir,
dar o passo,
e saltar.


@ eu hoje opto por ir de férias, voçês que me visitam um muito obrigado, volterei em meados de Setembro. Prometo que passarei por aqui sempre que tenha disponibilidade para deichar qualquer coisa de nono :-) fiquem bem e até breve. Aos meus colegas de blog vão postando qualquerzinha para o blog não ficar muito vazio :-) um grande abraço e beijos sem trocas heheheeh
publicado por crowe às 17:13
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Corpo e alma VI

images2(1).jpg


Um corpo,
uma alma,
cruza com outro ser,
almas reconhecem-se,
corpos sentem-se,
olhares que se trocam,
dois corações,
o mesmo ritmo,
a mesma transpiração,
cheiros,
risos,
invocam recordações antigas,
nostalgia,
não se explicam,
deixam saudades na alma,
fogo no corpo,
uma alma,
um corpo,
que identifica outro ser,
a sua alma,
naquele corpo,
que o desperta,
para a vida.
outras vidas,
que passaram,
deixaram as suas marcas,
na alma.
publicado por crowe às 08:58
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 3 de Agosto de 2005

Beijos para não engordar

Beijo1.jpg



Doce
mas doce engorda,
isso não será problema,
aqui vai o lema,
magro
onde mais desejares
elegante para te encantar
lipo aspirado para não te deixar insuflar
ardente para te fazer derreter
suado para não inchar
na alma para te cativar
muito suado
mas muito mesmo para ..
bem dizem que não deixa engordar
pronto transpirado
dietético . .pelas mesmas razoes
integral . .que nunca faz mal
ao natural
sem corantes
nem conservantes . .que também não engordam
repenicado .. que é para não ficar embassado
com sorriso que é bom e é preciso
sugado . .fica colado e não vais a nenhum lado
a rimar para te encantar
muito agradado e ir a qualquer lado
nas curvas
não para ficarem direitas
mas para ficarem ainda mais .. curvas
para ca, para lá,
no corpo. ate te entontecer, nos lábios para te adormecer
para me perder
nas tuas curvas, navegar em aguas turvas
com sabor a mel
refinado
incendiado
do teu amado
do Passado
com agua pois já tenho a boca seca
fugido, porque se terá sumido
ou ter-se-á consumido
nos lábios
descendo pelo teu peito,
dado ao meu jeito
no umbigo,
descendo mais abaixo,
acho que num tem perigo
nessa ... dado com amor . .ai que já me chega o calor
perigoso,
é de parar
mas estava a ser gostoso,
tu não estavas a gostar
ate cansar,
na pele em todo o lado,
nas curvas a derrapar,
não consigo ficar parado,
é melhor que ainda enlouqueço,
com um me despeço.


PS. Uma pequena brincadeira de moitas heheehehehehehehee
publicado por crowe às 16:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Labirinto

Bebi nos teus olhos a loucura do companheiro vento.
Mergulhei nos teus flancos o terno pincel da paixão.
Do leito fizemos vida e luz que irrompeu a escuridão.
Dei o corpo e levei a guerra aos arautos do tormento.

A vaga rumorejou excitada, enquanto a minha mão.
Raptava o teu olhar de criança nascida nessa herdade.
Para o declamar ao meu mundo com ávida vontade.
Bebendo esse fascínio como néctar de alva paixão.

Porque tu vens desse lugar, foste nessa herdade nascida.
Onde a coragem cresce como fruto nos braços viçosos.
Das árvores que alimentas com esses olhos sequiosos.
Com os quais temperas e revolves esse tina plena de vida.

No peito albergaste os falsos gémeos sem distinção.
Cerzidos num só corpo feito de claridade e do oposto.
Nasceste sereia numa pálida madrugada de Agosto.
Gritaste sombras de constante insónia num abismo são.

Imune ao múltiplo fogo, dançarino do engodo.
Desvendaste o labirinto com esses passos de menina.
Ah!!Foste a pródiga filha do Universo que o sublima.
Regeste e levantaste bem alto a tocha do denodo.
publicado por crowe às 15:02
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

§Quase tudo Sobre Nós

§ crowe

§ Passo

§pesquisar

 

§Dezembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

§Versus recentes

§ Momentos

§ Mais um!!!!

§ Noite

§ Tu e Eu ... Nós

§ Toca-me

§ Para uma amiga

§ Sou do campo

§ Corvo também entra ... co...

§ Aceitam-se sugestões... ;...

§ Mais um desafio

§Já em papirus

§ Dezembro 2008

§ Abril 2008

§ Março 2008

§ Dezembro 2007

§ Novembro 2007

§ Outubro 2007

§ Setembro 2007

§ Junho 2007

§ Maio 2007

§ Abril 2007

§ Março 2007

§ Fevereiro 2007

§ Janeiro 2007

§ Dezembro 2006

§ Novembro 2006

§ Outubro 2006

§ Setembro 2006

§ Julho 2006

§ Junho 2006

§ Maio 2006

§ Abril 2006

§ Março 2006

§ Fevereiro 2006

§ Janeiro 2006

§ Dezembro 2005

§ Novembro 2005

§ Outubro 2005

§ Setembro 2005

§ Agosto 2005

§ Julho 2005

§ Junho 2005

§ Maio 2005

§ Abril 2005

§ Março 2005

§ Fevereiro 2005

§ Janeiro 2005

§ Dezembro 2004

§ Novembro 2004

§participar

§ participe neste blog

blogs SAPO

§subscrever feeds